Posts Tagged ‘CMMI’

Neste Sábado tem Circuito Catrumano em MOC

Maio 6, 2009

flyerO Circuito Catrumano de Música Independente vem para dar sustentabilidade ao Festival Catrumano de Música Independente. O circuito consiste em um espaço para as bandas de Montes Claros e região apresentarem suas músicas, ao mesmo tempo que servirá de base para a formação de público, formação de mercado em torno das bandas e da cena independente de Montes Claros, o projeto acontecerá 2 (duas) vezes por mês, e contará sempre com uma banda de Montes Claros e uma banda de outra cidade. O Circuito Catrumano de Música Independente tem o apoio do BH Indie Music (BH), do Coletivo Fórceps (Sabará-MG), Coletivo Retomada (Moc), do Studio Rock (Moc) e da SOUL Comunicação (Moc).

Para a quarta noite do Circuito teremos as bandas Soprones (Moc) The Hell’s Kitchen Project e a banda Johnny Rock – primeira participante do Porjeto Bandas Novas. Flyer em anexo.

Projeto Bandas Novas
O projeto surge da necessidade que o Insituto Geraes vê em fomentar o surgimento de novos grupos musicais para a cena independente da nossa região. Assim, após longas discussões, chegamos a conclusão de que abrir espaço para bandas iniciantes na cena, seria a melhor forma de apresenta-las para o público e dar-lhes a oportunidade, dentro do Circuito Catrumano de Música Independente, de mostrar seu trabalho. Para a primeira apresentação do projeto temos a banda Johnny Rock – http://johnnyrocky.blogspot.com/.

Soprones (Moc) – http://www.myspace.com/soprones

“A banda soprones foi formada em 2008 com o objetivo de mostrar a inquietação política/social de seus membros através da música. Composta por Clayton Souza nos vocais, Andrey Meoli na guitarra, Ricardo Carburas no baixo e Danilo Baliza na batera, o quarteto enfia o dedo nas feridas da sociedade sem medo. Apresentando suas canções com letras fortes, diretas sonoridade agressiva característica do estilo punkrock/hardcore. É som para destruir ouvidos alheios.
E já é a maior representante da cena local fora dela, a banda jpa tocou em Inhumas (GO) Salvador (BA) Sabará (MG) e se apresenta no dia 28/05 em Belo Horizonte.”
The Hell’s Kitchen Project (BH) – http://www.myspace.com/thkproject

“A The Hell’s Kitchen Project foi formada no final do ano de 2006, com intenção de procurar uma nova textura de som, além de quebrar paradigmas.
O som feito mescla diferentes estilos, com base no rock e electro, feito somente com três instrumentos: baixo, bateria e voz. Com letras em inglês, abordando o universo íntimo, particular e libertino do ser humano, a cozinha da banda complementa o clima proposto em cada música junto a voz. Uma experiência na qual o resultado sincronizado, se transforma, chegando a uma atmosfera de estilo próprio, mesclando explosão e particularidade. Sinta-se a vontade para experimentar nosso conteúdo.
A  banda foi escolhida para tocar no Conexão Vivo – Edição Goverador Valadares (MG) e no Conexão da capital, junto de grandes nomes, como Otto, Vanguard, Porcas Borboletas, Transmissor…”

StereoTáxico + Dead Lovers no Nafta

Maio 5, 2009

poster2-1

Lançamento da Coletânea ROCK NORTE MINEIRO no Circuito Catrumano

Abril 23, 2009

25_04

Neste dia 25/04, o Instituto Geraes promove o lançamento oficial da coletânea “ROCK NORTE MINEIRO” dentro  do 1. Circuito Catrumano.

Segundo Tim Pires, do Instituto Geraes e da banda Ruido Jack,  “A coletânea surge da vontade das bandas em divulgar seu som e da necessidade de mostrar para o resto do estado os trabalhos realizados em Montes Claros. Juntando tudo o Instituto Geraes propôs as bandas a confecção de uma coletânea com 2 (duas) músicas de cada e assim, diminuindo os custos, tornou-se possível a realização da coletânea Rock Norte Mineiro”

Participam da Coletânea, que estará a venda por módicos $5, as bandas  Gr!tare, Locus, Ruído Jack, Sofia, Soprones e Umeazero. Todas farão pocket shows neste sábado e além destes, haverá o show da banda ZANZARA de BH.

Conhecedor que somos da cena independente de MOC, com suas ótimas bandas e caloroso público, temos certeza de que será um dos melhores rolês do final de semana. Pena que a $$$ não deixa, mas que da uma vontade de pegar um bus aqui e ir curtir a festa, isso dá !!!!

SERVIÇO:

Onde: Garage Rock Bar (R. Crisostomos Freire, 125)

Quando: Sábado, 25/04

Quanto: $5 (e com mais $5 vc leva a coletânea)

Quem:

Pocket shows com

Gr!tare
Locus
Ruído Jack
SoFia
Soprones e
Umeazero.

Show com:

Zanzara (BHZ)

CMMI faz “A” festa nesse dia 20 !!!

Abril 16, 2009

20090420_flyer_corFormado por entidades voltadas para o fomento da música independente, o Circuito Mineiro da Música Independente apresenta sua primeira festa em Belo Horizonte na segunda (20) no Matriz. No palco as bandas instrumentais Macaco Bong (MT) e Burro Morto (PB) mostram porque são dois dos maiores nomes da nova música nacional, acumulando elogios de diversos veículos de comunicação e com lugar garantido nos principais festivais do país.

O Macaco Bong é um power trio virtuoso que teve o disco de estréia “Artista igual pedreiro” eleito o melhor lançamento nacional de 2008 pela revista Rolling Stone e vem de shows recentes no Canadá e Estado Unidos.

Já o Burro Morto mistura o som psicodélico com progressivo e afro-beat e já tocou em festivais importantes como o Feira da Música (CE) e Coquetel Molotov (PE). No momento a banda prepara o lançamento de seu disco de estréia, projeto aprovado pelo Pixinguinha, programa cultural da Funarte e Ministério da Cultura.

A festa conta ainda com a discotecagem de vários nomes atuantes na cena independente como Moita (integrante da banda Porcas Borboletas de Uberlândia), Leth (do coletivo Megalozebu de Uberaba), StereoTóxico (do coletivo Pegada de Belo Horizonte) e B-flogin (do coletivo Fórceps de Sabará). No setlist o melhor da atual produção independente nacional do rock ao samba.

SOBRE O CMMI
O Circuito Mineiro da Música Independente é uma rede de coletivos culturais e colaboradores independentes, que começou a ser constituída em 2007 e tem na articulação do Circuito Fora do Eixo, sua principal fonte de inspiração e orientação. A rede é formada por entidades de nove cidades de Minas Gerais: Belo Horizonte, Uberlândia, Sabará, Montes Claros, Divinópolis, Vespasiano, Patos de Minas, Uberaba, Ribeirão das Neves.

PARCERIAS
A festa do CMMI conta com parceiros como o festival Conexão Vivo, que acontece entre os dias 17 e 26/04 e também tem em sua programação as bandas Macaco Bong e Burro Morto. Outro parceiro é o Circuito Fora do Eixo, uma rede de coletivos que atua em âmbito nacional da qual fazem parte a marioria das entidades integrantes do CMMI.

SERVIÇO
Festa do Circuito Mineiro de Música Independente (CMMI)
Dia 20 de abril (segunda)
A partir de 23h
Matriz – Terminal Turístico JK , Rua Guajajaras, 1353
Entrada – R$ 10 (na hora) e R$ 8 (antecipado)
Ingressos antecipados: Folha Seca, Av. Augusto de Lima, 885
Shows com MACACO BONG (MG) e BURRO MORTO (PB)
DJs Leth (Uberaba), Moita (Uberlândia), B-Flogin (Sabará) e Stereotóxico (BH)

Lançamento do Coletivo Semifusa prova: “ZN” pode não ser Hype mas é Público !

Abril 6, 2009

Por Fred Berli

Não é segredo para aqueles que me conhecem, que tenho uma imensa vontade de ver a Cena Independente da Capital das Gerais romper a barreira da Av. do Contorno. Afinal, apesar da Savassi contar com grandes iniciativas no fomento à cena ao longo dos anos, esses movimentos quase nunca caminharam no sentido de tornar a cena da música independente acessível a outras regiões de uma cidade do porte de BH, e entenda-se aí, de seu entorno também.

Muitas das vezes, além das grandes dificuldades que  produzir um evento de música independente fora do Centro-Sul tem por si só, estas ações esbarram em certos preconceitos que beiram o xenofobismo. Afinal, não poucas vezes ouvi as expressões “povinho feio”, “Zn´s”, “gente esquisita” dentre outras, serem empregadas pelos intitulados “In´s”, “Cult´s” e “hypes” para “qualificar” as pessoas que moram nessa região. Por tabela, parece que se esquecem ou desconhecem de algo que Milton Nascimento e Fernando Brant registraram magistralmente em “Nos Bailes da Vida”:  “Todo artista tem de ir aonde o povo está”.

E o lançamento do Coletivo Semifusa, no último sabádo em Ribeirão das Neves, só fez reforçar minha convicção de que descentralizar é o caminho do artistas indepenente para conquistar público.

Foi daqueles shows onde você toca e sai com a sensação de que toda sua correria vale e muito a pena:  Praça lotada. Publico atento. Run + Coca Cola. Crianças brincando de ser roqueiras. Vinho Chapinha. Ótima estrutura. Janie-Janies na praça. Òtimos shows. Skatistas e suas manobras na praça durante os shows. Piriguetes e Roqueiras desfilando no público, cada uma na sua. Zero de confusão. Aplausos, tietagem e contatos para futuras apresentações. Enfim, tudo que um bom festival de rock tem que ter. Tudo isso, “Fora do Eixo” de BH. Pasmem senhoras e senhores: “ZN´s” também consomem o mercado independente !!!

Semifusa, parabéns pelo evento ! Agradeço em nome do Azimute e do Manolos Funk a oportunidade que nos foi dada de partilhar dessa experiência. Até porque dada nossas origens, que tem muito em comum, sabemos o quão difícil é fazer um evento desse porte numa cidade como Ribeirão das Neves. É a prova que sim, nós podemos ! E  sem a “Bullshit” que esta expressão carrega depois da eleição de Mr. Obama.


Segunda noite do 1º Circuito Catrumano de Música Independente

Abril 4, 2009

festival-catrumano-021

Reprodução e mail Recebido através do Danilão de MOC

Está chegando a segunda noite do 1º Circuito Catrumano de Música Independente e o roque não para!

É nesse sábado – 04/04, no mesmo bat local e – quase – no mesmo bat horário. Dessa vez o bar começa a funcionar as 20h e será assim por toooooda a eternidade. Com música boa, cerva gelada, aquele caldo gostoso, receitinha secreta do chef Fuda’s, capirinha do barman mais famoso do mundo, Ronaldinho Gaúcho e lindas garçonetes semi nuas – 1º de abril!

Mas a partir das 21:30h que a coisa esquenta mesmo e quem toma conta do Circuito é a galera da banda SoFia (Moc) com seu rock alternativo temperado com pitadas de hardrock.

E na sequencia quem invade o palco é a banda As Horas (BH). Inspirados – o nome – no filme que conta um pouco da história da escritora inglesa Virgínia Woolf, a banda promete trazer, as noites quentes de Moc, uma mistura de roque direto com influências que vão do The Clash ao Nirvana.

Serviço.
1º Circuito Catrumano de Música Independente (segunda noite).
Local: Garagem Rock Bar – Rua Crisóstomo Corinto Freire, 125 – Morada do Parque (ao lado do Parque Municipal).
Horário: bar – 20h. Bandas a partir das 21:30h.
Quanto: R$3.
Shows: SoFia (Moc) & As Horas (BH)

Semifusa Chega para Tirar Ribeirão das Neves do Eixo

Março 30, 2009

filipeta-internet-jpg

Por Fred Berli

E o vírus se espalha.

O CMMI segue ganhando novos coletivos. Neste Sábado, Ribeirão das Neves apresenta o SEMIFUSA, coletivo que busca fomentar a cena local através da união dos artistas da cena independente local. E nada melhor do que colocar um palco na praça e fazer barulho para promover este novo ponto de apoio na cena independente.

O Rock Fusion juntará na praça central da cidade, artistas locais e alguns nomes bacanas da cena mineira independente. A promessa é que este seja um otimo cartão de visitas para o SEMIFUSA.

Segundo Rodolfo Gullar, organizador do festival,  “O Rock Fusion reflete claramente o que está acontecendo na
cena independente de Minas Gerais, a criação de novos espaços e veiculos de comunicação e o intercâmbio entre os coletivos e bandas de diferentes regiões.”

O Evento, que é gratuito, começa às 16 horas e contará no Line up com:

Verto (Neves)
Carolina diz (BH)
Radar 04 (Neves)
Orfeu (Neves)
Junkbox (BH)
Manolos funk (Vespasiano)

Fica o convite a todos da Grande BH para prestigiar esta importante ação !

Balaaança Grito Rock Vespá !

Março 17, 2009

Por Fred Berli

tela_gritorock_vsp

Antes de tudo, este é um depoimento sobre o Grito Rock 2009 em Vespasiano. Não seria honesto de minha parte, fazer as críticas dos shows, já que devido às demandas da produção do evento não pude ser um expectador atento das apresentações. Muito menos fazer críticas e elogios do evento em si, já que estas careceriam de uma visão externa para ter a devida e correta credibilidade. Ofereço então, minha visão “on board” do Grito Rock 2009 em Vespasiano.

Fazer o Grito Rock em Vespasiano foi um desafio. Colocar esta cidade, tão rica culturalmente, mas as vezes tão mal amada pelos próprios habitantes, no circuito da música independente é quase que uma tarefa para loucos. Mas com dedicação minha, do Cesinha e da Luciana, acho que podemos dizer que cumprimos nossa missão. Vamos aos fatos :

O dia começou chuvoso em Vespasiano, fato este que não e muito agradável para eventos na cidade. Mas ainda pela manha a chuva parou e o tempo ficou parcialmente nublado. Na produção tínhamos a priori poucas demandas… mas… pepinos sempre aparecem…

De inicio veio com pequenos problemas, como o carreto para o buscar o palco que havia sido retirado do local, e o data show que utilizaríamos para compor o cenário, cuja entrega atrasou. Mas nada se comparado ao grande vilão da tarde: o atraso no Som.

Solicitado e acordado para que as 14:00 hras toda a aparelhagem estivesse montada no local, desde as 13:15 estavamos no local prontos para receber o som. Afinal, por limitações no horário de termino do evento impostas pelo alvará, nossa preocupação era não atrasar o inicio das apresentações, marcadas para as 16:30. Mas o tempo foi passando, a chuva voltou e nada do som aparecer. Aqui cabe o registro: o som do Grito Rock Vespasiano nos foi doado pela Secretaria Municipal de Cultura de Vespasiano. Ela mantem uma licitação onde terceiriza serviços dessa natureza. A Secretaria Municipal de Cultura não teve nenhuma responsabilidade pelo atraso. Pelo contrario. Sempre que fomos tratar do assunto GRITO ROCK com a Secretaria, fomos atendidos com cortesia e pontualidade por toda a equipe da secretaria, desde o vigia do Palacio das Artes ate a pessoa da Secretaria de Cultura, Sra. Katia Salomao e que não mediram esforços para nos apoiar nesta iniciativa.

Nossa bronca e com a empresa de som que ganhou a licitação e que procedeu de maneira anti profissional, e atrasou, se considerarmos o horário que tínhamos planejado e acordado, em nada menos que 5 horas (!) a montagem do som. Este fato aliado a chuva, creio que foi capital para justificar o baixo publico que compareceu ao evento.

GRITARE por Tatiane Martins

GRITARE por Tatiane Martins

Agora gostaria muito de agradecer as bandas que se apresentaram no Grito. Pese todo esse problema com o som, TODAS as bandas que se apresentaram foram extremamente compreensivas com nossas dificuldades e ajustarem seu set para um show mais curto. Foi lindo ver como quem se dispôs a subir ao palco, o fez com muita raça e profissionalismo.

Lupe de Lupe, selecionada nas prévias integradas com o Fórceps, abriu o festival. Cães do Cerrado merece menção honrosa, tanto pelo show, sempre diversão garantida, quanto pela atitude de prestigiar todos os shows do Grito, Hibrida e Gritare bandas que vieram de longe e superaram cansaço e outros contratempos para apresentarem ótimos shows, Aura, a quem já me reservo o direito de chamar de “companheiros de estrada”, que trouxe seu ótimo som experimental , Rocknova e seu som profissional, Junkbox, sempre lindo ver a Malu soltar a voz e Cinco Rios e seu introspectivo show de ótimas melodias e arranjos delicados. Infelizmente, não tivemos as apresentações de Rafael Barbedo e Ricardo Koctus que alegaram problemas particulares e não puderam comparecer.

Bem, muitos perguntarão: E a não teve banda de Vespasiano?

Com o Manolos Funk ligado diretamente a produção do evento, optamos por abrir espaço para uma outra banda da cidade. Mas as bandas de rock da cidade, não acreditaram no evento. Nem ao menos um integrante delas apareceu para prestigiar o Grito. Quanto mais, tocar no evento… e isso com bandas de todo Brasil e algumas do exterior estavam de olho em uma vaga no line up da edição vespasianense do Festival. Fica o recado a elas: os tempos mudaram, surgiu o mp3, cd não vende mais, gravadoras estão quebradas. Acordem ! Já faz 10 anos que isso ocorreu. O Azimute continua de portas abertas para vocês e outros artistas da cidade. Cabe a vocês participarem ou não.

Mas então, quem tocou da cidade? Acho que um dos momentos mais legais do Grito, foi quando esse mistério foi resolvido. Não foi uma banda de rock. Foi a Banda “Congregação Nossa Senhora de Lourdes”, que com seus metais e surdos ,nos brindou com marchinhas de carnaval que animaram o publico e bandas em uma intervenção surpresa, provando que interação e diversidade tem vez também n o Grito Rock. Fica aqui meu agradecimentos a Robertinho, pessoa que tem o DNA dos coletivos na veia. O Azimute conta contigo.

Cães do Cerrado por Tatiane Martins

Cães do Cerrado por Tatiane Martins

Alem dessa intervenção, expusemos no Grito dois Bonecos que compõe o “Boi da Manta”, mais tradicional festa de carnaval da cidade. A idéia era promover um intercambio entre algumas manifestações culturais da cidade com o Grito Rock.

No final das contas, ficamos satisfeitos com o resultado. Mesmo sabendo que a muito a melhorar. Mas também vimos que estamos crescendo sobre uma sólida base. O Coletivo Azimute agradece a todas as bandas que se apresentaram, ao apoio da Secretaria Municipal de Cultura, e aos patrocinadores Pit Stop Pneus e Laboratório São Lucas. Que venha o Grito 2010!

Circuito Mineiro de Comunicação Independente ministra oficina

Março 17, 2009

Reprodução de materia de Ney Hugo | Espaço Cubo | Cuiabá-MT


O Circuito Mineiro de Comunicação Independente está dando um upgrade no setor de comunicação em São João Del Rei, uma das cidades que integram o CMMI – Circuito Mineiro de Música Independente. A oficina consiste em teorização e no aproveitamento dos eventos do fim de semana para a prática dos alunos. Os módulos são os seguintes:

• Contextualização do Circuito Fora do Eixo
• Contextualização do CMMI
• Cobertura independente: texto para internet
• Cobertura independente: foto
• Cobertura independente: vídeo
• Cobertura independente: áudio
• Cobertura do Conexão Vivo

A iniciativa conta com apoio e patrocínio de Conexão Vivo, SIM, BDMG, FEC, Lei de Incentivo a Cultura, Governo do Estado de Minas Gerais. É bacana o modo como as telefonias apóiam a cultura em Minas Gerais. Vide exemplos como Telemig Celular, Claro Minas Instrumental e o Conexão Vivo, que está apoiando uma série de ações por esses dias, como o primeiro festival de literatura do Fora do Eixo, que falamos essa semana aqui no Portal.

As coberturas do Conexão Vivo, fruto das oficinas do Circuito Mineiro de Comunicação Independente já começaram a ser publicadas no site do CMMI, o www.cmmi.foradoeixo.org.br. Clique e Confira!

Fonte: http://www.foradoeixo.org.br